A vida está ao contrário!

Que 2011 cresça sobre 2010
3 de janeiro de 2011
Até quando negaremos os fatos?
7 de janeiro de 2011

A vida está ao contrário!

Tinha um quadro aqui em casa, muito tempo atrás, com uma foto clássica de Charles Chaplin (bengala, chapéu de lado e o sorrisinho de canto de boca) com um texto que eu parava para ler várias vezes….. Lembrei dele ontem e resolvi colocá-lo aqui.

Na minha busca pelo texto descobri que ele não é de Chaplin. Aliás só nós, brasileiros, atribuímos o texto à ele. Ele, na verdade é de Sean Morey, conforme investigação e relato que encontrei aqui!

Reverse Life Cycle by Sean Morey

“I think the most unfair thing about life is the way it ends. I mean, life is tough. It takes up a lot of your time. What do you get at the end of it? A death! What’s that, a bonus? I think the life cycle is all backwards. You should die first, get it out of the way. Then you live in an old age home. You get kicked out when you’re too young, you get a gold watch, you go to work. You work for forty years until you’re young enough to enjoy your retirement! You go to college, you do drugs, alcohol, you party, you have sex, you get ready for high school. You go to grade school, you become a kid, you play, you have no responsibilities, you become a little baby, you go back into the womb, you spend your last nine months floating…. You finish off as a gleam in somebody’s eye.”

Ou em português (tradução minha):

“A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Poxa, a vida é dura! Ela demanda muito do seu tempo. O que você ganha no final? A morte! O que é isto, um bonus? Eu acho que o ciclo da vida está de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhamos um relógio de ouro e vamos trabalhar. Então você trabalha por 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você vai pra faculdade, curte tudo, bebe bastante, usa drogas, faz festas, sexo e se prepara pra o colegial. Depois você vai pro colégio, vira criança, brinca, se diverte, não tem nenhuma responsabilidade. Torna-se um bebê, volta pro útero da sua mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando… tudo termina com um “brilho” nos olhos de alguém!”

Enjoy 🙂

Pedro Prochno
Pedro Prochno
Sou fã das Relações Públicas*! Graduado em RP e com um MBA pela FGV, sou empreendedor na área e gerente de comunicação da Uber. Sou Pai do “relações”, Mergulhador, DJ e mto curioso! Adoro viajar, conhecer novas culturas, pessoas e formas de se ver o mundo!
Acompanhe:
A vida está ao contrário!

Comentários

1120