Oportunidades que não podemos perder – Barack Obama X Bin Laden

Tendência X Sustentabilidade: A crise da Arezzo
19 de abril de 2011
The circle of life
8 de maio de 2011

Oportunidades que não podemos perder – Barack Obama X Bin Laden

Existem algumas oportunidades que jamais podemos perder. Para a comunicação esta máxima é mais verdadeira ainda. São momentos únicos, pequenos e delicados que podem fazer total diferença na conquista de um objetivo comum. Isto aconteceu hoje, 1o de maio de 2011, domingo a noite. Tudo começou com este pequeno twitt:

[blackbirdpie url=”http://twitter.com/#!/BarackObama/status/64882772745003008″]

Barack Obama faria um discurso à nação. Nada de novo, não fosse a surpresa disto acontecer sem antecedência e tarde da noite em um domingo, mesmo nos EUA. Algo importante estaria por vir. Logo os canais de TV internacionais começaram a especular e ativar suas fontes. A informação dava conta de que Osama Bin Laden, líder da rede terrorista internacional, Al-Qaeda, estava morto. Esta seria, desde 11/9 2001, a maior vitória dos EUA, mais do que a captura e execução de Saddam Hussein.

Aguardei ansiosamente pelo pronunciamento do presidente americano. CNN ligada, lá veio ele, pelo corredor da Casa Branca. Colocou-se em frente ao púlpito e iniciou. Em suas primeiras frases confirmou as especulações, Bin Ladem havia sido morto, e valorizou o feito da situação.

Nas linhas que seguiram, Barack Obama aproveitou com maestria a oportunidade que lhe foi dada. Em tempos de lançamento de sua candidatura à reeleição, sua imagem/apoio em baixa, crise econômica e recuperação não tão boa dos EUA, Obama aproveitou a situação para atrelar sua imagem a valores e sentimentos que podem fazer o apoio a sua imagem subir drasticamente.

Obama Seu discurso, sereno, em grande parte calmo (ele chegou a engasgar por algumas vezes em que quis correr com as palavras), foi recheado de emoção, e palavras estrategicamente colocadas.

Iniciou relembrando os fatos, 11/9, o ataque, a perda de cidadãos americanos, pais, mães, filhos. Trouxe a tona muito do emotivo, das lembranças dos sentimentos dos americanos. Trabalhou a união que tomou conta do país após o fato trágico, os valores e sentimento de amizade, de ajudar uns aos outros.  Reforçou a importância das guerras que foram iniciadas para combater o terrorismo e capturar os líderes da Al-Qaeda. Reforçou também a confiança e orgulho que o país tem dos soldados que foram à guerra, os que morreram, as pessoas que integram os serviços de inteligência e, especialmente os soldados que trabalharam na captura de Bin Laden.

Passou então a contar o processo que levou para a operação, o trabalho de inteligência desenvolvido sob sua coordenação, o que culminou na sua autorização para que a operação fosse deflagrada. Retomou o que a morte do líder da Al-Qaeda significa, que por mais que a morte não seja algo desejado, foi justo frente ao que Bin Laden provocou. Um ponto fundamental de seu discurso foi afirmar que os EUA está em guerra contra o terrorismo e não contra o Islam. A religião cresce constantemente no mundo todo (veja aqui), e deixar de frisar isto poderia voltar com uma onda de revolta e preconceito contra ela. Frisou que o terrorista não era um líder islamico, mas sim um líder terrorista.

Obama terminou seu discurso ressaltando que o povo americano, quando permanece unido, é capaz de realizar o que quiser. Pediu união, o resgate do sentimento de país que junto consegue prosperar. Classicamente, suas frases finais foram trechos do “Pledge of Allegiance” (juramento) americano. Disse ele:

Let us remember that we can do these things, not just because of weath, or power, but because of who we are: “… one nation, under God, indivisible, with liberty and justice for all.”. Thank you. May God Bless you, and may God bless the United States of America.

O vídeo acima está em inglês. Em breve versões em português vão surgir. Quer concorde ou não com os EUA, goste ou não do Obama, aprove ou não a guerra, a captura/morte de Bin Laden, analise, comunicador, o discurso do presidente americano de forma crítica. Note como uma situação pode ser usada para novamente unir um país e trazer frutos aos envolvidos. Como temos quea agir rapidamente para aproveitar estas situações. Veremos nas cenas dos próximos capítulos se isto trará frutos ao Barack Obama!

Curta o #blogrelacoes no Facebook!

Pedro Prochno
Pedro Prochno
Sou fã das Relações Públicas*! Graduado em RP e com um MBA pela FGV, sou empreendedor na área e gerente de comunicação da Uber. Sou Pai do “relações”, Mergulhador, DJ e mto curioso! Adoro viajar, conhecer novas culturas, pessoas e formas de se ver o mundo!
Acompanhe:
Oportunidades que não podemos perder – Barack Obama X Bin Laden

Comentários

1481