Profissão Comunicólogo

Vamos começar pelo básico, o que é marca?
15 de julho de 2011
Cannes Lions: tem espaço para RP aí?
22 de julho de 2011

Profissão Comunicólogo

Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Marketing ou Jornalismo?

Nenhuma das opções acima; a nossa primeira profissão deve ser Comunicólogo. E por quê?

Recebemos mais comunicados do que sabemos aproveitar. A tecnologia desta época nos esmaga. Segundo Frank M. Corrado em “Um milhão de mensagens por dia”, no pacote de cereais que abrimos todas as manhãs há, em média, 1.268 palavras. As empresas privadas produzem mais de 72 bilhões de fotocópias – em plena era do escritório sem papel. O jornal que lemos diariamente contém, em média, 125 mil palavras. Ainda dentro de estatísticas, Luiz
Alberto Ferla em seu artigo “Socorro! É muita informação”, traz que atualmente bilhões de pessoas recebem pelo menos 1.6 gigabytes de informações e, além disso, uma pessoa que trabalha com computador o dia todo fica 25% do seu tempo procurando informações.

Para se adaptar a este novo ambiente, a organização deve reavaliar a maneira como divulga suas informações, inclusive como se comunica com o seu público.

A organização comunica-se de forma perfeita quando os empregados se comunicam de
maneira contínua e informal com os escalões superiores, inferiores e de mesmo nível da
organização – e quando há comunicação com os empregados, gerentes, comunidade e outros
públicos.

O professor e consultor de relações públicas Philip Lesly observou que “a administração hierárquica está cada vez mais orientada para fatos mensuráveis, controláveis pelo computador; para o que é visível e tangível, e não para as variações dos sentimentos e motivações humanas”. Ele aponta que o caminho das comunicações (ou de relações públicas) “provavelmente continua a crescer em números e em universalidade de uso”.

Lesly argumenta que a comunicação cria o tipo de valor que não pode ser medido facilmente – evitar erros, ajudar a administração a entender o “clima humano”, aconselhar a colaboração e o trabalho conjunto em vez do conflito, e criar posições e percepções.

É assim que começamos: especificando os membros da organização que têm responsabilidade de comunicação, a começar de como procurar e de como utilizar as informações que recebemos todos os minutos. É preciso transmitir aos principais públicos da organização mensagens plausíveis, assim todos precisam compartilhar os sucessos e os fracassos da agilidade de informações.

E então, qual é a sua profissão?

*Com revisão de Dr. Conteúdo.

Belle Silva
Belle Silva
Consultora de Planejamento Digital; fundadora e editora do blog A Bordo da Comunicação. Monitora de sala na ESPM nos cursos de Redes Sociais e Inovação Digital e Planejamento Digital. Co-organizadora da Arena Virtual na Feira do Empreendedor Recife 2010 e 2012, e também da versão Arena Digital Pocket em 2011. Escreve sobre Inovação e tecnologia no blog Relações e também é Head of Strategy & Business Development da Blending Visions.
Acompanhe:
Profissão Comunicólogo

Comentários

2156