Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte I

Terceiro Setor – Missão: mobilizar!
29 de agosto de 2011
Os ganhadores dos presentes
1 de setembro de 2011

Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte I

Em 2009 foi iniciada na UFG – Universidade Federal de Goiás – uma pesquisa de iniciação científica, sob orientação do Prof. Tiago Mainieri de Oliveira sobre “A formação de uma cultura empreendedora no âmbito da comunicação organizacional”. Tudo começou na cidade de Goiânia-GO e hoje já agrega professores e estudantes de universidades em diversas regiões do Brasil.

A pesquisa ajudou a traçar características para guiar as posteriores entrevistas e avaliar a freqüência  com que apareciam, a intensidade e a importância que o entrevistado dava para cada aspecto. As características tiveram como referência autores e pesquisadores da área (Filion, Dornelas, Dolabela, Manieri), adaptando-se à realidade da comunicação.

Nos próximos posts, descreveremos as principais características empreendedoras analisadas pela pesquisa até chegarmos aos resultados, quando discutiremos melhor o perfil do empreendedor-comunicador brasileiro. As primeiras características seguem abaixo:

Inovação e Criatividade
Inovação tem sido a palavra chave quando nos referimos ao empreendedorismo, e com certeza isto envolve uma dose de criatividade. Simplesmente abrir um negócio não é empreender, mas quando há inovação no ramo, sim! Na comunicação estes elementos são imprescindíveis, principalmente pelo crescimento das novas tecnologias comunicacionais, e pelo incremento das ferramentas já existentes de forma criativa. O comunicador-empreendedor é um indivíduo criativo, que sabe aproveitar e otimizar as oportunidades. Otimizar pode ser em relação ao dinheiro, as idéias, e tudo que um empreendedor faz para dar os primeiros passos em seu projeto.

Independência
Outra característica recorrentemente atribuída ao empreendedor é a necessidade de independência. Podemos dizer que o comunicador-empreendedor tem essa necessidade de independência na medida em que quer ser dono de seu próprio negócio, tornando-se independente, livre das “amarras” caso fosse empregado de uma organização.Este aspecto pode vir tanto do desejo de autonomia, realização pessoal, visão de uma nova oportunidade ou independência financeira. O fator independência não nega portanto a importância do empreendedor procurar parcerias que o ajudem no seu caminho. Mas o desejo de crescer através de seus sonhos e projetos gera o desejo de ser independente. São pessoas autoconfiantes na sua capacidade de completar seus desafios e metas.

O que mais falta nessa receita? No próximo post traremos mais três atributos importantes no perfil de quem empreende. Acompanhe!

Este post foi co-escrito por Riziely Herreira (@rizielyrp), estudante do 8º período de Relações Públicas na Universidade Federal de Goiás, pesquisadora da linha em empreendedorismo e comunicação (perfil empreendedor) e empreendedorismo social (desenvolvendo o trabalho de conclusão de curso). Integrante do grupo de pesquisa- CNPQ -Comunicação em Contextos Organizacionais.

Para ler a pesquisa completa, acesse o arquivo por aqui.

Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte I

Comentários

2490