Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte II

Histórias são narrativas afetivas da existência
27 de setembro de 2011
“Data venia, RP pra quê?”
29 de setembro de 2011

Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte II

No primeiro post desta série citamos “Inovação e Criatividade” e “Independência” como características importantes do comunicador-empreendedor brasileiro, e agora completamos a lista com mais oito elementos essenciais descritos na pesquisa desenvolvida pela Universidade Federal de Goiás.

Flexibilidade/dinamicidade
A flexibilidade para assumir riscos calculados e até mesmo fazer mudanças se for preciso é essencial ao comunicador-empreendedor. Um empreendimento na área de comunicação requer flexibilidade para permitir adaptações no negócio, diante do ambiente de constantes transformações. Saber tomar decisões e ser flexível diante de situações diante da realidade econômica (como até mesmo a crise mundial) é um fator interessante.

A partir destes atributos, flexibilidade e dinamicidade, o empreendedor demonstra a capacidade de assumir riscos calculados. O empreendedor sabe planejar e prever os riscos diante de uma ‘empreitada’, mas sabe muito como gerenciá-los de maneira a atingir a sua meta em sua jornada. Então diante destes aspectos, ele saberá planejar e avaliar.

Iniciativa/dedicação/comprometimento
A iniciativa é essencial no comunicador-empreendedor, iniciativa para tomar decisões e implementar ações. Um empreendimento requer dedicação e comprometimento por parte do empreendedor, para que o negócio cresça e se desenvolva de forma consistente.

O empreendedor toma iniciativa, implementa ações, são extremamente dedicados e comprometidos, apaixonados pelo que fazem. Não se importam em gastar horas de trabalho, assumem responsabilidades e traçam objetivos e metas.

Liderança
A liderança na condução de um empreendimento de comunicação garante o envolvimento da equipe. O comunicador-empreendedor precisa exercer o papel de líder na condução do negócio. A liderança exige envolvimento da equipe, e além de uma boa relação, saber delegar e obter feedback. O empreendedor deve saber estimular sua equipe e recompensá-los.

Aprendizagem/conhecimento/experiência
O domínio do negócio é determinante para o sucesso do mesmo. O comunicador-empreendedor tem pleno conhecimento do negócio e capacidade de aprendizagem para buscar constantemente aperfeiçoar seu nível de conhecimento do negócio e do mercado. O empreendedor busca sempre novos conhecimentos seja do seu ramo, ou até mesmo de seus clientes, fornecedores e concorrentes.

Outro fator que leva é o aprendizado com suas experiências pessoais e profissionais, ambas somadas ajudam o empreendedor na sua jornada. São apaixonados pela troca de experiências e conhecimentos.

Intuição/ realização pessoal
Embora ainda haja uma discussão sobre a influência da intuição nos negócios, esta característica tem se mostrado presente em muitos empreendedores. A intuição é caracterizada como fruto não só da experiência profissional, mas também algo inerente ao ser humano que pode ser usado no dia-a-dia da empresa.

Os comunicadores-empreendedores baseados na experiência na área em vários aspectos em sua jornada empreendedores são muito intuitivos (principalmente quando pretendem abrir o seu próprio negócio), motivados a se auto-realizar e superar obstáculos, concretizando sonhos e em busca de autonomia e oportunidades.

É importante lembrar no entanto que somente ‘ser intuitivo’ não leva o empreendedor a um bom caminho. Dornelas discute isso em seu livro Empreendedorismo na prática, salientando que o empreendedor precisa fazer um planejamento, mesmo que no inicio ele venha a ser informal.

Busca por sócios
A busca por sócios/parceiros que complementem suas habilidades, agregando valor ao negócio é outra característica importante, principalmente na fase inicial do negócio. Esses sócios podem ser amigos da universidade, ou até mesmo algum amigo que se conheceu em um antigo emprego e que motivados juntos abriram seu próprio negócio; além de parentes (pai,esposas,etc).

Na pesquisa que apliquei em Goiânia, tive a oportunidade de conhecer uma estagiária que se tornou sócia de seu patrão na agencia de comunicação. Este aspecto chama atenção para a importância de um profissional bem preparado para o mercado de trabalho, e para que as universidades nos preparem com maior eficiência para aproveitar este tipo de oportunidade. Uma maneira, citada pelo autor Fernando Dolabela, é a inserção do empreendedorismo como disciplina nas escolas e universidades, formando uma cultura empreendedor brasileira.

Networking
A rede de contatos é um fator preponderante para o andamento do negócio, uma rede bem estabelecida gera confiança, oportunidades e uma forma de ‘propaganda’ espontânea.

Acredito que muito mais do que ter uma rede de contatos, e saber gerir essa rede de maneira a otimizar oportunidades.Não basta ter uma imensa lista de contatos importantes e apenas contatá-los em momentos que precisa, mas saber fazer troca de experiências e oportunidades.

Aplicação de  princípios e técnicas de comunicação
Os comunicadores-empreendedores naturalmente são indivíduos apaixonados pela sua carreira na área da comunicação e procuram aplicar princípios da comunicação em suas vidas pessoais e profissionais. Gostam de estar bem informados, atentos às novas ferramentas da comunicação e às novas tecnologias, não poupando esforços para investirem nesta; além de estarem preocupados com o processo comunicacional que é a base de seu negócio. Os empreendedores podem demonstrar essa particularidade de maneira diferenciada, porém predominante.

Muitos enfatizam a importância da comunicação integrada, saber oferecer um planejamento bem estruturado; saber lidar com as redes de relacionamento, e investir em tecnologias (softwares, redes estruturadas, entre outros) que dinamizem o negócio.

Você se identificou com as características citadas?
Com a lista agora completa, no terceiro post trataremos das conclusões da pesquisa e depois poderemos enveredar por exemplos práticos de empreendedorismo Brasil afora 😉 Não perca!

 

Este post foi co-escrito por Riziely Herreira (@rizielyrp), estudante do 8º período de Relações Públicas na Universidade Federal de Goiás, pesquisadora da linha em empreendedorismo e comunicação (perfil empreendedor) e empreendedorismo social (desenvolvendo o trabalho de conclusão de curso). Integrante do grupo de pesquisa- CNPQ -Comunicação em Contextos Organizacionais.

Para ler a pesquisa completa, acesse o arquivo por aqui.

 

Quem é o Comunicador-Empreendedor? Parte II

Comentários

2657