RP X Publicidade ou RP + Publicidade? Por que não os dois?

Para obter comunicação de resultado
14 de fevereiro de 2012
7 questões sobre desenvolvimento, felicidade e talentos no ambiente de trabalho
16 de fevereiro de 2012

RP X Publicidade ou RP + Publicidade? Por que não os dois?

No primeiro post do ano, uma das ideias era trazer alguma perspectiva ou tendência para 2012 em relação a coluna. Como eu trago ações ou campanhas, muitas de publicidade, para que possam nos instigar e inspirar em nossos planejamentos de RP, pensei justamente nessa cisão ou problemática que existe entre Relações Públicas e Publicidade e Propaganda: uma disputa por certas “searas” do mercado e de quem faz melhor. Pelo menos é o que eu vejo e sinto, ainda mais atuando como assessora de imprensa do mercado publicitário – conheço os dois lados da moeda.

Eis que na primeira edição do jornal Meio&Mensagem deste ano, havia um especial com as oportunidades para este ano com artigos de players do mercado. Entre eles, o texto de PJ Pereira, head da Pereira&O’Dell em São Francisco/CA (leia aqui), sobre a ascensão da atividade de Relações Públicas no mercado publicitário. Sim, um publicitário valorizando nossa atividade alinhada com a atuação dele AND numa edição que recebia o título “O que esperar de 2012”! Significa?

Acabei lembrando de um evento que tive a oportunidade de conferir no último dia 28 de novembro, o GP 1+1, conferência anual que se caracteriza como a maior da área de planejamento das Américas. Com o tema “Integração, Colaboração e Interdependência” (atenção a esse título que pautou todas as apresentações!), o evento – que também tem foco publicitário – trouxe entre seus palestrantes Mark Aronson, Senior COG (Cognitive Anthropologist) da Crispin Porter + Bogusky (CP+B), uma das agências referência no mundo. O que me chamou atenção na sua fala foi justamente sobre o seguinte slide:

Tradução livre: “Não começamos a criar anúncios antes de escrevermos um press release”.

Pra não falar que eu estou enganando vocês, olha o Mark aqui com o slide lá atrás 😛

Mark mencionou que a produção de um release no processo de criação de qualquer campanha da agência mostra que eles, planners e criativos, precisam ter algo interessante de fato. Por quê? Porque ao escrever um release de uma campanha publicitária, no briefing, nós Relações Públicas trazemos o olhar de fora que quer entender tudo sobre a campanha, a concepção, as referências, o objetivo e, principalmente, seu diferencial. É esse questionamento, olhar amplo e externo – para poder “vender” a pauta para o jornalista, no caso de assessoria de imprensa – que aguçam eles a irem além e criarem algo realmente relevante!

Não sei vocês, mas achei sensacional o fato dos publicitários incluírem o RP no processo de criação, justamente valorizando e entendendo que a atividade é complementar, que contribui para a profissão deles e que a comunicação realmente é integrada! Se o Relações Públicas iria aparecer apenas lá na frente para receber o briefing da campanha para divulgar, então, por que não inseri-lo no começo das etapas? Particularmente, achei um exemplo que poderia ser seguido por muitas outras agências 😉

Não sei até onde o Mark tem participação nessa inclusão, já que ele é formado em RP rs, mas também serve para mais um exemplo: nos formamos RP’s, mas isso não significa que não podemos atuar, no caso, com publicidade! Tive, inclusive, uma chefe que teve a oportunidade de atuar na área de atendimento de uma agência de propaganda #ficadica

Então eu volto ao ponto que iniciei o post: a rivalidade entre as áreas. Hoje nós falamos tanto de comunicação integrada, mas realmente vemos isso no dia a dia? Esses dois exemplos trazem a minha perspectiva (ou seria vontade?) para 2012 – que cada vez mais vejam, compreendam e valorizem nossa profissão, principalmente aqueles que estão no mesmo mercado – o de comunicação. Vamos parar de “preconceitos” entre as atividades e vamos aproveitar o melhor de cada uma. Pegando o bonde do tema do GP 1+1, vamos integrar de fato, colaborar, pois a comunicação é uma interdependência das áreas não!? Afinal, o objetivo final é fazer nossos clientes felizes e trazer resultados!

Essa é a mensagem que deixo e vou pautar meus posts na coluna esse ano: continuar trazendo ações e campanhas, criadas ou não por RP’s, publicitários, marketeiros…o importante é ter bons cases e exemplos para buscarmos novos patamares!

E o espaço aí embaixo é seu pra comentar os exemplos e se concorda ou não com o questionamento!

Beijos e até o próximo caso 😉

RP X Publicidade ou RP + Publicidade? Por que não os dois?

Comentários

3399