Relações Públicas: Fazer ou não fazer, eis a questão

1 ação, 3 públicos e muitas lições
27 de abril de 2012
Pepsi e o seu novo momento: o agora
3 de maio de 2012

Relações Públicas: Fazer ou não fazer, eis a questão

Olá, (…), este ano pretendo cursa RP na (…). Bom, pretendo, porque ainda não sei. Acho que é um curso que tem bastante a ver comigo, ”comunicação” e de uma forma geral ” se envolver com pessoas”.
Sou de (…) e esse curso pelo menos aqui não é visto como grandes coisas, pelo o que tenho pesquisado o mercado de trabalho pra RP não é muito bom. A não ser que seja no RJ ou em SP.

Mais é um curso legal? Que esta crescendo?
Outra coisa que já ouvi muitos dizerem é que é um ”clube das luluzinhas”. é isso mesmo?

Este foi o e-mail que recebemos via “Fale Conosco” no começo do mês. Batemos um papo interno e resolvemos que seria uma ótima trazer a resposta pra cá!

Fiquei incumbido da tarefa, que teve o pitaco de muitos dos autores do #Blogrelacoes. O resultado está abaixo!

Particularmente sou um apaixonado pela profissão. Acho que as Relações Públicas, assim como a administração, te possibilita trabalhar com mil coisas, claro, dentro da área de comunicação/relacionamento. Dos clichês Assessoria de Imprensa, Eventos, Comunicação Digital, Comunicação Interna, até chegar em Relações com o Governo, Gerenciamento de Crise, Branding, e por aí vai. As áreas e focos de atuação são quase infinitas. Você pode ser especialista em uma destas coisas, ou generalista, fazendo o planejamento integrado de muitas delas, otimizando investimentos da empresa e esforços de comunicação.

Mais do que “se envolver com pessoas”, como disse o nosso personagem, as Relações Públicas demandam CONHECER e ENTENDER pessoas, e pra isso entra uma dose gigante de pesquisa, antropologia, filosofia. Pra mim é neste ponto que mora a beleza da profissão!

Aí passamos pra questão das praças: SP e RJ são as que têm os mercados mais desenvolvidos na área. Sim é verdade. São Paulo concentra mais de 33% do PIB nacional; RJ mais de 11%. Os Estados que vem depois ficam todos abaixo dos dois dígitos: MG com 9, RS com 6% e por aí vai…. Logo, nada mais óbvio do que estes Estados (e principalmente suas capitais) concentrarem os maiores mercados de trabalho.

Particularmente vejo uma crescente no mercado de comunicação em outras praças, principalmente BH, Porto Alegre, Curitiba e algumas cidades do Nordeste. É tímido se comparado com SP, mas estes mercados vem sim se desenvolvendo e crescendo. Temos inclusive empresas de SP que contratam fornecedores de comunicação de fora do eixo RJ-SP: Tecnisa é uma delas. (vale reler “O mercado de RP no Brasil“).

O que mais conta pra mim é que o Brasil está amadurecendo, e este amadurecimento demanda relações mais sólidas e duradouras, de confiança, o que demanda comunicação e Relações Públicas.

Se RP é um curso legal? Precisa responder? Eu gosto de pluralidade, diversidade, pontos de vista diferentes. Encontrei tudo no curso que sim está crescendo ano pós ano!

Por fim, sobre o clube da luluzinha, basta observar os fãs do #blogrelacoes no Facebook, e que na minha sala tinham 88 pessoas, 8 homens! Não me deixa mentir. Prefiro ver isto como um ponto positivo ;-P

Boas reflexões pra quem vai começar a pensar (ou efetivamente definir) o que quer fazer para a vida, prestar nos próximos vestibulares. Ficaram com mais dúvidas? Mandem pra nós via nosso formulário!

 

Pedro Prochno
Pedro Prochno
Sou fã das Relações Públicas*! Graduado em RP e com um MBA pela FGV, sou Pai do “relações”, Mergulhador, DJ e mto curioso! Adoro viajar, conhecer novas culturas, pessoas e formas de se ver o mundo!
Acompanhe:
Relações Públicas: Fazer ou não fazer, eis a questão

Comentários

4012