Marcas e opinião: ou tem ou não tem! – Parte II

Como cobrar por serviços de comunicação? | Os serviços e a formação dos preços
18 de setembro de 2012
A geração que está fazendo a revolução do sofá acontecer
20 de setembro de 2012

Marcas e opinião: ou tem ou não tem! – Parte II

Para quem não se lembra, ou não leu, o primeiro post que leva o mesmo título (veja aqui) era sobre a primeira campanha da United Colors of Benetton para a iniciativa (e fundação) “Unhate”, que trazia líderes mundiais se beijando para discutir as diferenças políticas, econômicas, religiosas, entre outras, e promover a aproximação entre as pessoas. Dessa vez, a marca italiana traz ao debate mundial a questão do desemprego que, não por acaso, está aumentando com a crise na Europa e nos EUA.

Intitulada “Unemployee of the Year“, a Benetton lançou ontem uma campanha sobre os NEET’s, que significa “Not currently engaged in Employment, Education or Training”, que em tradução livre seria algo como “Atualmente sem Emprego, Educação ou Formação”. Essa sigla foi criada no Reino Unido e é usada em outros países para classificar jovens, abaixo dos 30 anos, desempregados, mas que estão buscando o caminho na vida para construir um futuro melhor.

ADENDO: Segundo os dados mais recentes da OIT (Organização Internacional do Trabalho) para 2012, existem 75 milhões de jovens desempregados em todo o mundo, na faixa etária de 15 a 24 anos. Se ampliarmos a faixa etária para 15 a 29 anos (o que seriam os NEET’s), estima-se que o número seja de mais de 100 milhões de jovens desempregados.

Por isso, a marca criou esta nova campanha para mostrar o que acredita: que o emprego não define as pessoas, mas sim aquilo pelo qual elas lutam. Lutar por trabalho é, ao mesmo tempo, lutar por dignidade, contra a indiferença, clichês e estigma no mercado. E a capacidade dos jovens em encontrar formas novas, inteligentes e criativas de enfrentar o problema e encontrar suas soluções.

Assim como a campanha “Unhate“, a Benetton criou uma série com 18 anúncios. Nestes, são os jovens desempregados, mas em trajes sociais, como uma estigmatização irônica e, ao mesmo tempo, apresentando-os como empresários, homenageando-os pelo esforço e luta por um futuro estável.

Também criou um filme com um manifesto e retrato dos NEET’s, com suas lutas e pensamentos:

Porém, nesta campanha, a Benetton foi além de peças e filme “chocantes” como a anterior: criou um concurso!!! Os jovens desempregados que têm entre 18 e 30 anos estão convidados a apresentar resumos de projetos com ideias que devem causar um impacto social concreto em suas comunidades. Os resumos para projetos em diferentes áreas (inclusive projetos artísticos) devem ser enviados para o site da Fundação Unhate e serão votados pela comunidade online. Os 100 melhores projetos selecionados receberão o apoio da própria fundação para serem concretizados.

Sério, o que dizer? Como eu fiquei sem palavras com mais esta ação da Benetton para a iniciativa “Unhate”, vou citar seu próprio presidente:

“Nós não podemos mudar o mundo, mas a United Colors of Benetton quer usar a sua voz para defender os jovens e celebrar a sua força e valor” – Alessandro Benetton

Mais uma vez, a Benetton trouxe à luz um assunto importante para ser debatido pelo mundo. Mais uma vez, fez uma bela campanha, bem executada, para que reparemos nessa questão. Mais uma vez, mostrou que tem posicionamento. Como está no press kit da campanha, “a tradição de sensibilização para questões socialmente delicadas e controversas está alinhada com os valores empresariais, sociais e éticos da marca“. E é, por TUDO isso, que mais uma vez eu aplaudo uma organização que pensa além de seu próprio negócio, suas vendas, seu lucro e ganha a atenção de seus públicos (consumidores, imprensa, mercado em que atua, entre outros) justamente pela opinião, em um mundo em que cada vez é mais importante e relevante o diferencial imensurável. Porque preço, qualidade e diversidade de modelos/produtos (ainda mais na moda), seus concorrentes tem, mas atitude, são poucos, bem poucos!

Não sei se é coincidência (ou não), mas a Benetton com a Fundação UNHATE tem três grandes valores:

  • a luta contra o ódio e a discriminação em todas as suas formas;
  • o apoio às novas gerações;
  • a disseminação do impacto social da Arte.

Vejo a primeira campanha “Unhate” pautada exatamente pelo primeiro valor. Esta, “Unemployee of the Year”, no segundo. Se a linha de raciocínio estiver correta, então a próxima campanha seria algo como a arte como modificador na sociedade.  Bom, já estou curiosa! Que venha a próxima, como uma trilogia 😉

ADENDO 2: No Brasil, a Fundação UNHATE está desenvolvendo um projeto para crianças de rua de São Paulo para reinserção social por meio de atividades artísticas. Para isso, conta como parceiro local o Projeto Quixote.

Informações e imagens: site oficial e press kit da iniciativa “Unhate” da Benetton

Redação TMPRP
Redação TMPRP
Acompanhe:
Marcas e opinião: ou tem ou não tem! – Parte II

Comentários

5363