Responsabilidade social corporativa: quem faz?

Comunicação honesta
23 de outubro de 2012
CONFERP novo, CONRERP novo… NOVO?!?!?
26 de outubro de 2012

Responsabilidade social corporativa: quem faz?

Em tempos de sustentabilidade e terceiro setor em alta, tudo mundo diz que faz algo a respeito, mas será mesmo? Em primeiro lugar: o que você entende por responsabilidade social corporativa?

Para começar, já informo que não é plantar uma árvore ou fazer uma doação pontual. É uma prática que precisa estar atrelada aos valores da marca, ao negócio, a governança corporativa, ao que a empresa acredita, investe (sempre) e quer transmitir como mensagem para a sociedade. De olho nessa visão, quero compartilhar dois exemplos com vocês:

Hope for Children – Samsung

A Samsung tem um programa global chamado “Hope for Children”, que consiste em investir constantemente, em países que a empresa possui base/escritório, em projetos ligados a educação, esporte e cultura, para todas as idades. Isso porque a multinacional de eletroeletrônicos acredita que são esses pilares que dão oportunidade para o desenvolvimento social. Aqui no Brasil, a empresa apoia desde 2010 projetos da Fundação Amazônia Sustentável, localizada em Manaus. O objetivo desta ação é suportar iniciativas da entidade que promovam o desenvolvimento sustentável, conservação ambiental e melhoria na qualidade de vida das comunidades moradoras e usuárias das unidades de conservação.

Outra projeto apoiado é o Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima (IVCL), em Campinas, liderado pelo ex-maratonista Vanderlei Cordeiro. O foco da instituição é oferecer condições de acesso à educação, cultura e esporte para crianças e adolescentes. Ao ingressar no Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima, cada jovem recebe bolsa de estudo, uniforme para a prática de atletismo, passes municipais e intermunicipais garantindo a possibilidade de frequência nos treinos, transporte e inscrições para competições, suporte nutricional e fitoterápico, apoio psicológico, treinamento específico da modalidade e plano de saúde.

O último investimento, divulgado na semana passada, foi um acordo com a Comunidade de Paraisópolis, em São Paulo, que prevê a reforma do Instituto Escola do Povo, uma organização não governamental subsidiada por doações da iniciativa privada e de pessoas físicas, que tem os esforços destinados à educação de jovens e adultos que não estão na rede regular de ensino. Além disso, a Samsung adotará duas turmas de alunos da mesma instituição durante todo o ano letivo de 2013 e modernizou a sala de tecnologia, onde novos monitores foram doados e já estão à disposição dos alunos. Esta iniciativa faz parte das comemorações do Mês do Voluntariado que a Samsung promove globalmente todos os anos. O dia 19 de outubro marca esta ação no Brasil e, aproveitando-se da data, a Samsung incentivou seus colaboradores e parceiros a se voluntariem à causa e oferecerem seus conhecimentos para a comunidade. Esta adesão permite que os funcionários da empresa troquem experiências com os estudantes, mestres e membros de Paraisópolis.

 

Longevidade/Porteiro Amigo do Idoso – Bradesco Seguros

O Grupo Bradesco Seguros desenvolve, desde 2006, uma série de ações relacionadas à longevidade e a conscientização da sociedade para o tema. Em pesquisas realizadas pela seguradora, os porteiros foram apontados como os melhores amigos dos idosos no dia-a-dia. Assim, no início de 2010, no bairro de Copacabana, Rio de Janeiro – maior concentração de idosos no País, o grupo lançou o “Programa Porteiro Amigo do Idoso”, gratuito, para capacitar esses profissionais em prédios e condomínios para o melhor tratamento com as pessoas da terceira idade. O curso contempla situações comuns para quem convive com pessoas longevas e os participantes aprendem, também, a se colocar no lugar dos idosos. Para isso, é realizada uma vivência utilizando óculos para dificultar a visão e pesos nas pernas, entre outros artifícios, para que os porteiros sintam as limitações da idade e reflitam sobre as dificuldades enfrentadas pelos mais velhos. Com o sucesso do curso no Rio, a Bradesco Seguros começou a promovê-lo esse ano aqui em São Paulo no bairro de Higienópolis e região, conhecida pela alta concentração de idosos na capital paulista.

Por que escolhi esses dois cases? Porque, além de ter conhecido essas iniciativas de perto, acredito que eles se encaixam na “definição” que coloquei acima de Responsabilidade Social Corporativa: são práticas constantes de investimentos em causas que, além de contribuírem para o negócio das duas empresas, agregam valor à marca e à sociedade! São ações maiores do que mencionar em campanhas publicitárias que são engajadas, mas não vemos exemplos, ainda mais contínuos, para que possamos conferir de perto o que está sendo feito. Bom é ver casos assim de programas que são de fato socialmente responsáveis.

E se você conhecer mais cases de responsabilidade social corporativa/empresarial, manda pra gente porque merecem ser compartilhadas 😉

Imagens: divulgação

Responsabilidade social corporativa: quem faz?

Comentários

5687