Etiqueta e boas maneiras: A imagem que você deseja transmitir.

Kit Kat e Oreo, Pinguim e Nova: definitivamente uma nova postura e relação?
5 de abril de 2013
Tendências em Comunicação | 2013
11 de abril de 2013

Etiqueta e boas maneiras: A imagem que você deseja transmitir.

 

Postura, trajes e formalidades no dia a dia, eram os principais temas abordados em cursos de etiqueta. Hoje, a formalidade da espaço a necessária etiqueta empresarial, ao media training e às boas maneiras que compõe o nosso principal cartão de visita, a imagem que queremos transmitir.

Afinal, o que são as boas maneiras? Até onde a etiqueta realmente é necessária para um RP ou para um mestre de cerimônias? Como e onde utilizá-las? Essas e outras perguntas e respostas você confere neste post que conta com a participação especial da Relações Públicas, carioca, e  especialista no assunto, Fátima Ziegler.
Então vamos às perguntas e respostas:

Etiqueta e boas maneiras, o que é?
FZ: “É ter como principal fundamento o comportamento a Elegância e a Sofisticação. É saber estar em qualquer ambiente. Muitos comentam que é uma questão de bom senso, o que eu realmente não concordo, ao contrário, eu acho que é um dever de todos”.

Boas maneiras vem da cultura familiar ou podem ser adquiridas ao longo do tempo?
FZ: “As Boas Maneiras nem sempre vem de berço, elas poderão ser adquiridas ao longo do tempo e a maior prova disso foi quando eu ministrei um curso em um colégio municipal com adolescentes de comunidades carentes. Eu consegui ver em cada aluno o desejo de aprender, e a minha maior vitória era vê-los colocando em prática tudo que eu ensinava.
É importante ressaltar que a pessoa tem que desejar aprender”.

Novas oportunidades para um profissional podem surgir a partir de uma boa apresentação?
FZ: “Não tenho a menor dúvida quanto a importância do Comportamento Social e Empresarial no mercado de trabalho. Hoje nas entrevistas, às empresas já descartam o candidato que não sabe nem cumprimentar. O que parece um ato tão simples, mas requer o correto movimento da mão e que, por incrível que pareça, mais de 60% das pessoas não sabem qual é o movimento correto”.

Os profissionais da comunicação, em especial os RPs tendem a lidar com públicos distintos utilizando estratégias de comunicação para cada um deles. Existe um limite em que não podemos ultrapassar em relação à exigência de etiqueta e boas maneiras dependendo do público trabalhado?
FZ: “É elegante saber o público alvo para cada evento e usar a linguagem adequada para que todos estejam integrados na emoção da mensagem que será transmitida. A Etiqueta e as Boas Maneiras caminham ao lado do bom senso”.

Dicas de comportamento em ocasiões especiais na qualidade de convidado:
FZ: “Para um evento empresarial o adequado é chegar pontualmente, agradecer a pessoa que fez o convite, ser gentil, saber se comportar e sair sóbrio antes do final do evento. É importante mencionar que nem sempre o convite foi feito pelo Presidente da Empresa, dessa forma o convidado não terá o direito de se achar íntimo e ir cumprimentá-lo, caberá a um subordinado direto fazer essa apresentação ou não”.

E como anfitrião do evento… FZ: “Para um bom anfitrião é adequado estar na porta do local do evento. Receber com simpatia todos os convidados. Levando em consideração que é elegante chegar pontualmente. O anfitrião ficará na porta por um período de 40 a 50 minutos, quando poderá se retirar para aproveitar o evento. As pessoas que chegarem atrasadas deverão ir até o anfitrião, cumprimentá-lo e agradecer o convite”.

Qual a postura que um mestre de cerimônias deve adotar durante um evento?
FZ: “O MC deve manter a postura correta atrás de uma Tribuna, de preferência trajando um alinhado terno preto, camisa social branca, cinto preto, meias pretas e uma discreta gravata. Não gesticular, não demonstrar reações diante dos acontecimentos e, principalmente, não aplaudir batendo no antebraço. A postura correta de um Cerimonialista e de um Mestre de Cerimônias é tentar ser invisível cumprindo todos os seus deveres com muito sucesso sem ser o ponto principal das atenções”.

Gafes acontecem. Qual a melhor forma de lhe dar com situações constrangedoras?
FZ: “O ideal é não acentuar o erro, tentar agir com naturalidade como se nada errado tivesse ocorrido”.

Ao perceber que uma autoridade não está seguindo corretamente as regras de etiqueta, qual a melhor forma desta abordagem sem que existam maiores constrangimentos?
FZ: “Não é elegante tomar a iniciativa de informar o que é correto sem que seja solicitado.  Dependendo do evento, caberá ao Mestre de Cerimônias analisar se o comportamento da autoridade irá interferir no bom andamento e na imagem que será divulgada, aí sim, deverá conversar sobre o assunto como se fizesse parte do roteiro”.

Fátima Ziegler é Relações Públicas, professora de etiqueta, atua como cerimonialista por mais de 25 anos em diversos tipos de eventos. Recentemente foi convidada pela Rede Globo para um desafio; Dar aulas de etiqueta para a ex-BBB Aline, que ficou famosa pela forte expressividade e fama de barraqueira no reality show. Confira a reportagem e vídeo publicado no link para o site Ego da Rede Globo: http://glo.bo/10T7Hug .

Gostou? Então fico no aguardo de suas dúvidas e comentários.

Fonte:

 

Fabio Polisel
Fabio Polisel
Relações Públicas pela Universidade Metodista e Pós-Graduado em Marketing pela FGV. Após um período de 5 anos na Gerência de Comunicação da Metodista, migrei para área pública em 2009. É na Prefeitura de São Bernardo do Campo onde continuo aprendendo sobre o universo público e em como implementar as relações públicas nesta área. Sou empreendedor na área de eventos e também vivencio as funções de cerimonialista e mestre de cerimônias.
Acompanhe:
Etiqueta e boas maneiras: A imagem que você deseja transmitir.

Comentários

6434