Gabinete digital: até onde é realmente necessário?

RP não fala a linguagem de “negócios”
7 de agosto de 2013
Novas mídias, novas formas de engajar
16 de agosto de 2013

Gabinete digital: até onde é realmente necessário?

Uma notícia que saiu na Folha de S.Paulo me chamou a atenção: a criação de um gabinete digital do Governo para as redes sociais.

A decisão do Governo se deu após a onda de manifestações e a mobilização dos cidadãos via web e para criar um canal direto de diálogo por meio das redes sociais. Isso porque o Governo não conseguiu responder às demandas levantadas nas redes

O objetivo do Gabinete Digital, segundo a Folha apurou, “é abastecer o mundo cibernético com dados oficiais; monitorar e pautar o debate virtual; fazer disputa de versões, desfazer boatos e tentar, na medida do possível, colocar a presidente Dilma Rousseff em contato mais direto com internautas”.

O estado do Rio Grande do Sul já possui um órgão similar: http://gabinetedigital.rs.gov.br/ com desdobramentos no Twitter (https://twitter.com/gabinetedigital) e Facebook (https://www.facebook.com/gabinetedigital).

O curioso é que a nova estrutura, comandada por Valdir Simão, ex-secretário do Turismo, é considerada estratégica e está posicionada no terceiro andar do Palácio do Planalto, onde despacha a presidente.

A notícia me deixa feliz, claro, afinal também trabalho e vivo disso, mas tenho uma “senhora” dúvida: seria mesmo necessária a criação de um gabinete inteiramente dedicado ao digital? Não estariam as áreas de Comunicação e Relações Públicas prontas para assumir essa demanda dentro do Governo? Não estamos tornando o digital um tanto esquizofrênico, já que o estamos apartando de seus “irmãos” naturais que são a assessoria de imprensa, comunicação institucional, relações com os stakeholders?

Adoraria ouvir a opinião de vocês.

Carol Terra
Carol Terra
Carolina Terra é doutora e mestre em Interfaces Sociais da Comunicação, ambas pela Escola de Comunicações e Artes da USP. É pesquisadora, consultora e professora de Mídias Sociais e Comunicação Organizacional, atuando como docente na Fecap, FAAP, Belas Artes e ECA-USP. É autora do livro Blogs Corporativos (Difusão Editora) e editora do blog RPalavreando.
Acompanhe:
Gabinete digital: até onde é realmente necessário?

Comentários

6855