Real time marketing, a nova forma de fazer marketing na era do imediatismo

RP começa a fazer sentido para as empresas. Será?
6 de setembro de 2013
Por um Cerimonial e protocolo mais contemporâneo
19 de setembro de 2013

Real time marketing, a nova forma de fazer marketing na era do imediatismo

Brian Solis lançou no começo do ano o livro  “What’s The Future of Business” e nele usou “Wheel of Disruption”ou ”força de desruptura”, como um termo que mostra como as empresas devem trabalhar inovação e rapidez nos seus produtos e serviços. Através do  Real Time, Mobile e Social, devem ativar e impactar a sua comunicação de marca, conforme o infográfico abaixo.

Mas o que é o Real-Time Marketing?

Apesar do termo Real-Time Marketing (RTM)  ter sido mencionado por volta de 1990, (na época em que surgiram os primeiros sistemas de CRM e não havia uma gestão em tempo real), o imediatismo do mundo atual faz com que esse tipo de estratégia seja, não só aplicado, como de suma importância para ser adotado por uma marca.

Palavras e ações novas não param de surgir, nesta época do “agora”,  “ou para já” São exemplos do Real Time Marketing o Real-time advertising, real-time response marketing e newsjacking, processos que se aproveitam do fato dos consumidores estarem sempre conectados e estarem abertos para ações que permitam para a marca um capital de reconhecimento em grande escala e cujo impacto será traduzido a médio e longo prazo em brand recall.

Segundo Brian Solis, há dois tipos principais de ações no Real-Time Marketing

Breaking News –  mais conhecido como Newsjacking (termo que ficou popular através de David Meerman Scott)  que é quando o conteúdo  se aproveita de fatos do momento para ganhar audiência. Essa ação pode ser criada em site, blog, Twitter, Facebook ou outras plataformas sociais.

Como neste exemplo em que o biscoito Oreo aproveitou o nascimento do filho do Príncipe William para brincar com leite, Oreo e preferência.

Ongoing Threaded Topics – é quando há acompanhamento dos temas de conversa de uma audiência ou comunidade, para identificar tópicos onde a marca possa obter bons resultados através da publicação de opiniões de seus consumidores. São os consumidores agindo como advogados da marca e influenciando suas redes.

Sendo assim, é possível afirmarmos que o ambiente digital é propício para que os resultados do  Real Time Marketing tenham mais solidez pela rapidez com que os fatos, imagens e conteúdos se propagam nas redes,e  principalmente pelo fato de serem compartilhados de maneira espontânea pelos usuários e gerem mais resultados positivos para a comunicação de marca.

 

 

 

Marcia Ceschini
Marcia Ceschini
Marcia Ceschini – Especialista em Gerenciamento de Marketing, Sócia e Consultora de Comunicação e Marketing Digital na Ceschini Consultoria, Professora da Pós Graduação nos cursos digitais do SENAC São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Bauru, da Trevisan Escola de Négocios, USC – Universidade do Sagrado Coração – Bauru, Idealizadora e Gestora do Papos na Rede.
Acompanhe:
Real time marketing, a nova forma de fazer marketing na era do imediatismo

Comentários

7028