O conteúdo e a mídia na Era Digital

5 fatos para ser um RP melhor em 2016
30 de dezembro de 2015
O desafio dos Editores
1 de janeiro de 2016

O conteúdo e a mídia na Era Digital

Se o conteúdo é rei, a distribuição é rainha, diz um ditado bem contemporâneo. E em termos de distribuição, no contexto da comunicação, a mídia é chave. Combinar o conteúdo e a mídia para amplificar nossas mensagens em diferentes espaços e contextos é fundamental para quem se relaciona com o mercado. 

A velocidade das informações e a variedade de formatos fez com que aquilo que se chamava de “assessoria de imprensa” mudasse. Hoje nós costumamos chamar o ato de abrir espaço na mídia de relacionamento com a imprensa. É por isso que dizemos que a assessoria de imprensa morreu – mas, atenção, o trabalho do assessor de imprensa está mais vivo do que nunca!

Separamos aqui 3 pontos-chave que você precisa entender se quer se relacionar com a mídia na era digital.

1. Entenda o poder do conteúdo

O conteúdo deixou de ser apenas informativo para se tornar também uma ferramenta de vendas. É conteúdo que as pessoas buscam no Google, e não publicidade. E se você quer que um negócio, produto ou serviço seja encontrado no Google, deve produzir conteúdo usando termos potencialmente “buscáveis” – as famosas palavras-chave.

Essa mudança na importância do conteúdo para o marketing, aliás, aconteceu em grande parte por causa do Google. Sempre que precisamos alguma informação, é para ele que recorremos. E o que ele apresenta como resposta para as nossas dúvidas? Conteúdo! Na forma de texto, imagem ou vídeo, é ele que atrai novos clientes diariamente para sites de empresas.

A produção de conteúdo consistente tem sido responsável por uma grande atração de contatos qualificados (também conhecidos por leads) nas empresas. Mas não adianta simplesmente “produzir textos, vídeos ou materiais para download”. É preciso entender o caminho que potenciais clientes fazem, desde a busca por uma solução no Google até a compra, e ir nutrindo-os com informação relevante, em cada etapa, para que eles estejam próximos da sua organização.

Leia também: Inbound não é ebook

O poder do conteúdo está em construir confiança, em criar relacionamento com as pessoas e não simplesmente em encontrar maneiras ou gambiarras para gerar mais tráfego para o seu site ou likes nas redes sociais. 

2. Pense além do Fantástico

Para atrair e nutrir novos leads é preciso publicar conteúdo relevante para os meios, os canais, os influenciadores (leiam-se: jornalista, webwriter, blogueiro, formador de opinião, articulista, vlogueiro, entre outros) amplificarem para quem você pretende se relacionar.

Hoje todos somos usuários-mídia. E essa realidade fez surgir muitos blogs, canais de redes sociais, programas de Youtube e certamente muitas outras possibilidades vêm por aí. Sendo assim, embora estar no Fantástico possa ser um sonho de muitas pessoas que trabalham com relacionamento com a imprensa, existem centenas – e quiçá milhares – de canais para atingir o mesmo volume de público com menos esforço.

O retorno pode ser mais demorado, mas também se torna mais consistente: o fato de ir aos poucos conversando com jornalistas e influenciadores vão aumentando o seu networking e com o passar do tempo fica mais fácil conseguir emplacar matérias. Por isso, preste atenção ao ponto 3…

3. Assessoria de imprensa deve ser rotina

Muitas empresas acabam investindo no trabalho dos assessores pontualmente – e é claro que no caso de alguns negócios não faz sentido financeiramente pagar mensalmente este trabalho. Porém, o trabalho do assessor não começa nos contatos com jornalistas e influenciadores e isso pode ser invisível para quem contrata.

Os assessores conseguem emplacar matérias com razoável rapidez por já terem relacionamento construído com os jornalistas. Mais do que uma boa estratégia de comunicação, eles conhecem como funciona o dia a dia dos meios que querem atingir e isso é fruto de meses ou anos de contato periódico.

O valor do conteúdo que você disponibiliza para um jornalista ou influenciador não pode ser confundido com a responsabilidade ou preocupação editorial de um publisher*. O trabalho do editor é publicar notícias de acordo com os interesses do veículo, e não da sua estratégia de comunicação. Muitas vezes a abordagem adotada por quem faz o contato pode determinar a inclusão ou não de uma informação. E o assessor sabe como ninguém fazer isso.

O trabalho fundamental do assessor é criar formas de unir as duas pontas desta questão: entender a necessidade de conteúdo do jornalista e adequar a sua mensagem à linguagem do veículo.

Publisher* – Do inglês, editor. Atualmente o termo é mais amplo e se refere aos responsáveis pela criação, produção e publicação dos diversos tipos de conteúdo nos diversos formatos e tipos de mídia. Também cabe a esses profissionais o termos influenciadores sejam on ou off line no qual temos jornalistas, blogueiros, webwriters, instagrammers, curadores de redes sociais… Enfim, qualquer profissional de comunicação que gere conteúdo.

Quer organizar melhor os contatos com a mídia?

Baixe a nossa planilha de follow up e monitore o seu relacionamento com jornalistas e influenciadores.

RP School
RP School
A escola da Todo Mundo Precisa de um RP.
Acompanhe:
O conteúdo e a mídia na Era Digital

Comentários

11077