Black Friday: o dia menos RP do ano

O que faz uma empresa ter sucesso?
25 de novembro de 2016
Quatro dicas para praticar Relações Públicas na América Latina
28 de novembro de 2016

Black Friday: o dia menos RP do ano

Você provavelmente está com mil e uma campanhas em ação a propósito do dia de hoje, a Black Friday. Seus clientes passaram algumas semanas cobrando – e em alguns casos só lembraram na 2ª passada que era preciso criar uma campanha “para ontem”, para aproveitar todo o buzz.

Os seus esforços nas redes sociais até poderão gerar mais venda — se os descontos forem bons. Mas certamente não vão ter impacto na reputação, que, afinal, é o objetivo do seu trabalho, não é RP?

Mas existe, sim, uma forma da Black Friday gerar reputação. Se existe Black Friday, é porque, antes, e esse antes foi o dia de ontem, existe o Thanksgiving, ou dia de Ação de Graças. E o Thanksgiving data de 1621.

"The First Thanksgiving 1621", óleo sobre tela de Jean Leon Gerome Ferris (1899).

“The First Thanksgiving 1621”, óleo sobre tela de Jean Leon Gerome Ferris (1899).

A história da Black Friday

A Black Friday surgiu nos Estados Unidos  como forma de “escoar” os estoques de produção agrícola de um ano inteiro. Ela se popularizou no varejo nos anos 90, mas já é falada desde 1966 em jornais norte-americanos e foi, inclusive, associada à crise de 1869.

Um dia antes de começar a vender tudo o que se produziu durante o ano, exatamente um mês antes do natal, os norte-americanos faziam uma refeição onde se deleitavam com o melhor da sua colheita.

Nada mais justo.

O Thanksgiving é comemorado com uma ceia. O peru, aliás, é o prato principal neste dia.  Embora em 1621 o nome Black Friday não existisse, aí está a origem do seu conceito.

Imagem: Betty CrockerImagem: Betty Crocker

Como seria impossível comer tudo o que se plantou e, para algumas famílias, o ganha pão era mesmo o negócio agrícola, no dia seguinte ao deleite, vinham as vendas da produção. E as promoções, afinal o inverno está começando no Hemisfério Norte e é preciso garantir os suprimentos para os dias mais duros do ano.

Aqui no Brasil, e em vários outros países também, a gente importou apenas uma parte da estratégia americana, que é a parte dos super descontos. Ignora-se a cultura da ação de graças.

Ninguém agradece o esforço e o trabalho de um ano inteiro.

Ninguém vende o excedente da produção, ao contrário, o frenesí de produzir mais para a Black Friday deve estar deixando muita gente com depressão e crise de ansiedade no mercado de comunicação.

Ninguém celebra a produção com um lauto jantar, trazendo para o centro da mesa o seu lado mais espiritual – ou para quem não é lá muito espiritual, boas risadas e um belo encontro entre familiares ou amigos.

Aqui se ignora a ação de graças para focar exclusivamente na venda. Só que cada vez mais a venda é consequencia de bons relacionamentos – e não o contrário, ou seja, não é vendendo indiscriminadamente que você vai construir melhores relacionamentos e garantir “a colheita” do ano seguinte.

Black Friday na Inglaterra. Imagem: Telegraph

Black Friday na Inglaterra. Imagem: Telegraph

Como usar a Black Friday para gerar reputação

Um dos pontos que devem pautar uma campanha de RP é a preocupação com o propósito e reputação da empresa. É sair do copy-paste do que enxergamos das estratégias mais bem sucedidas dos EUA.

Precisamos entender o princípio de datas como a Black Friday e partir delas para criar ações para aproveitar oportunidades. E para gerar reputação, além de vendas, dar o toque cultural do nosso país e da empresa para a qual trabalhamos.

Que tal na próxima campanha de Black friday encontrar uma forma de contar a história e as razões da sua empresa ou do seu cliente estar dando o descontão?

PS: outra ideia muito legal ligada a esta época do ano e que foi distorcida ao importar para o Brasil é o Small Business Saturday. Mas sobre esse eu conto no próximo post. 😉

Ariane Feijó
Ariane Feijó
Trabalha com Relações Públicas e Marketing Digital há mais de 15 anos tendo passado por grandes multinacionais como Dell (Brasil), KPMG e Lloyds TSB (Inglaterra) e trabalhado com países como Estados Unidos, Alemanha, França, Espanha, Rússia e Índia. É sócia do coletivo Todo Mundo Precisa de um RP e idealizadora do Inbound PR, metodologia que desenvolveu para combinar inbound marketing com RP e aplica em empresas de diversos portes.
Acompanhe:
Black Friday: o dia menos RP do ano

Comentários

11356