Data Driven Marketing: saiba o que é e como aplicar

Você sabe para onde vai o seu dinheiro?
27 de março de 2018
World Communication Forum: Confira os vencedores do C4F Davos Award 2018
3 de abril de 2018

Data Driven Marketing: saiba o que é e como aplicar

Afinal, o que é data driven marketing? Entender mais sobre este assunto pode ajudar e muito na elaboração de um planejamento de comunicação efetivo.

Afinal, o que é data driven marketing? Entender mais sobre este assunto pode ajudar e muito na elaboração de um planejamento de comunicação efetivo.

Realizar um trabalho de maneira personalizada que atenda aos desejos dos públicos é o desafio enfrentado pelo marketing e a comunicação todos os dias. Centralizado em um mundo onde as informações estão ao alcance de um clique, a marca que criar meios para administrá-las está em vantagem em relação às demais, e é neste momento que entra em ação o data driven marketing, que pode ser muito bem interpretado por meio da sua tradução literal, ou seja, o marketing orientado por dados.

Estar bem informado em relação aos públicos é essencial para a marca, no entanto, ter as informações em mãos e não saber o que fazer com elas não será de grande serventia.

Por este motivo que o data driven marketing trabalha no sentido de coletar e organizar os dados que sejam realmente relevantes para o projeto, colocando-os como base para as estratégias.

É bom ter em mente que, mais do que apenas consumir o produto de uma marca ou ter acesso aos seus serviços, as pessoas buscam cada vez mais viver experiências proporcionadas por marcas, ainda mais com a crescente das redes sociais.

Por isso, torna-se cada vez mais importante dar atenção ao valor da via de mão dupla da comunicação, pois ela possibilita um maior envolvimento entre ambos os lados, empresa e público, dando voz à audiência que a marca deseja atender.

A grande chance está em conseguir compreender as informações emitidas pelos públicos e criar projetos que as utilizem de maneira efetiva.

A tecnologia pode ajudar nos processos por intermédio de softwares que dão flexibilidade e entregam facilidades na hora de coletar e interpretar dados. O uso correto destes meios terá interferência no decorrer das aplicações, por este motivo, devem ser escolhidos com cuidado, lembrando-se sempre de focar no que será mais efetivo na execução das ações.

Ao unir às tecnologias a uma estratégia bem estruturada para captação de dados, será possível criar um projeto que possibilitará uma real identificação com os públicos.

Data driven marketing na prática

Para dar início à aplicação do data driven marketing, você precisa seguir alguns passos:

1) Defina quais dados coletar

Identificar quais dados serão relevantes para a análise é um tópico extremamente importante, pois de nada adianta coletar um número elevado de informações, sendo que muitas delas não serão usadas no projeto. O correto é focar no que realmente importa e que trará benéfico para as ações.

2) Escolha métodos para facilitar o seu trabalho

Para alcançar os resultados de uma maneira prática podemos utilizar: e-mail, web analytics, site, CRM, landing page, entre outras. As opções de ferramentas são várias, o que exige uma análise para identificar quais utilizar.

Pensemos em uma ação em que se usa uma landing page. Desenvolve-se uma página online para oferecimento de um ebook, ao qual a pessoa acessa e para conseguir fazer o download precisa preencher um formulário com algumas questões elaboradas pela marca com foco no que ela está interessada em saber daquele determinado público. É uma forma prática de se conseguir dados e que é benéfica para ambos os lados.

As ferramentas de e-mail marketing, além de realizar o disparo de e-mails, também trazem informações que podem ser relevantes. O MailChimp, por exemplo, mostra quem clicou no e-mail, em que horário ele foi aberto, possibilita a realização de testes A/B e apresenta algumas outras métricas.

Outra opção muito utilizada é a RD Station, que trabalha toda a automação do marketing digital. A plataforma possibilita a criação de landing pages, gestão de leads, otimização de SEO, desenvolvimento e disparo de e-mail marketing, entre muitas outras opções que darão toda uma base para a coleta de dados ser efetiva. Além disso, também possibilita o monitoramento dos resultados obtidos por meio das ações aplicadas.

3) Coloque em prática

Após classificar quais dados deverão ser coletados e a maneira como será possível chegar até eles, é hora de colocar em prática por meio de: análises, pesquisas online ou offline, testes, interação nas redes sociais, formulário, pesquisas nos sites de buscas, comportamento do usuário, engajamento, contatos, entre tantos outros meios que serão escolhidos conforme for indicado no início do projeto.

Para entender melhor, vamos conhecer o case da “Bibi Calçados”, uma empresa que trabalha com calçados infantis e que sentiu a necessidade de intensificar o relacionamentos com os seus clientes, optando pelas estratégias de data driven marketing.

Ao analisar que era preciso trabalhar em meios online e offline, desenvolveram projetos que agregassem ambas as áreas. Para a execução de campanhas em ambiente digital usaram a ferramenta Oracle Responsys Marketing Suite, e em meio offline investiram nos pontos de vendas para coleta de dados com o auxílio de seus colaboradores.

A importância da obtenção correta de dados foi de grande importância para a “Bibi Calçados”, pois conseguiram desenvolver uma experiência real com seus clientes, de maneira a quase 90% daquelas pessoas que realizavam uma compra quando alcançadas pelo e-mail marketing, irem também conhecer uma loja física após a aquisição do produto.

Com essa abordagem a empresa alcançou um aumento de 23% em seu faturamento no ano de 2016, além de conseguir lugar de destaque no Markie Awards, prêmio entregue durante o Modern Customer Experience, da Oracle, em Las Vegas, na categoria de “Melhor Uso de Dados”.

4) Monitore sempre

É importante estar sempre alerta aos dados obtidos, de modo a verificar se eles realmente são úteis e estão trazendo algum conhecimento relevante. E ao segmentar as informações, analisá-las com um olhar crítico para que se possa extrair o melhor delas, implantando no planejamento de comunicação para que seja favorável ao resultado final.

O Google Analytics é uma ferramenta ótima para análise de dados, uma vez que fornece informações valiosas referentes ao comportamento dos visitantes do site desenvolvido pela marca.

Ele apresenta dados como localização, idade, navegador utilizado, por quanto tempo a pessoa permanece no site, qual a taxa de rejeição, dispositivo usado no momento do acesso, entre muitas outras informações que podem ajudar na elaboração das ações de marketing.

Vantagens de se usar o data driven marketing

As vantagens da utilização do data driven marketing são muitas, visto que colabora para uma melhor organização dos dados, tornando-os compreensíveis e facilmente utilizados pelos responsáveis pela ação – basta que seja feito por intermédio de um direcionamento preciso e com os objetivos traçados.

Sem falar que os métodos podem ser mudados a qualquer instante, ou seja, se determinado meio de obtenção de dados não está tendo os resultados esperados, é possível realizar mudanças para tornar o trabalho mais prático, fazendo com que ele alcance melhores efeitos.

 

Você também vai gostar de ler:

 

Por Vanessa Diasgraduada em Relações Públicas e integrante do time de conteúdo da Todo Mundo Precisa de Um RP. 

Data Driven Marketing: saiba o que é e como aplicar

Comentários

12687