André Franco, da Critical Mass, fala sobre o uso de dados e tecnologia nas estratégias de comunicação corporativa

Cortar supérfluos: uma ação necessária
12 de abril de 2018
ação da panini e bruna marquezine com figurinhas do neymar jr
RP na veia: o caso Panini + Bruna Marquezine
20 de abril de 2018

André Franco, da Critical Mass, fala sobre o uso de dados e tecnologia nas estratégias de comunicação corporativa

André Franco fala sobre o uso de dados e tecnologia na comunicação corporativa

Cada vez mais o profissional de relações públicas deve trabalhar com dados e trazer essa prática para dentro das estratégias de comunicação corporativa. A utilização de dados, métricas e mensuração tendem a trazer mais efetividade na relação das empresas com seus públicos.

Para aprofundar o assunto, entrevistamos André Franco, diretor executivo da Critical Mass, agência que faz parte do Grupo In Press.Com mais de 20 anos de experiência em produtos, tecnologia e negócios digitais, André liderou equipes e startups em São Paulo, Nova York e San Francisco. Na Critical Mass, desenvolveu a criação de três plataformas de comunicação corporativa.

Para saber mais, continue lendo a entrevista com André.

 

Blog RP: Como surgiu a Critical Mass e quais os valores de comunicação que a movem?

André: A Critical Mass surgiu em Calgary, no Canadá, há 21 anos, como uma agência de design de experiências digitais, e chegou ao Brasil em 2014 para compor o portfólio de agências do Grupo In Press.

Nós trabalhamos muito próximos às agências de comunicação do Grupo para desenhar e desenvolver plataformas que melhorem a comunicação corporativa, seja gerando engajamento entre funcionários ou acelerando a comunicação assertiva com porta-vozes para gestão de crises.

Desenhar soluções memoráveis que motivem a interação dos usuários e, ao mesmo tempo, resolvem necessidades de negócio e comunicação é o que nos move.

Blog RP: Se fala muito em usar a tecnologia a favor da comunicação, principalmente com o uso de dados e inteligência artificial. Como vocês desenvolvem projetos que de fato gerem resultados para as empresas? E como isso pode ser usado de forma estratégica na comunicação?

André: As novas tecnologias despertam a vontade de usá-las o quanto antes, mas às vezes é preciso dar um passo atrás e se fazer duas perguntas: será que já estou fazendo o “feijão com arroz” bem feito a ponto de partir para algo mais complexo?

Essa tecnologia tem aplicação prática às nossas necessidades? Pois não adianta implantar um chatbot se o seu SAC não funciona direito. Nem trabalhar com big data se você colhe poucos dados.

Nós, por exemplo, notamos a dificuldade que nossos clientes tinham em aumentar o alcance da comunicação corporativa a todos os seus colaboradores e, mais ainda, engaja-los no diálogo, assim como medir a eficácia da comunicação.

Criamos, então, o Dialog, um app leve, democrático e social, que desperta o interesse dos funcionários em participar da conversa e que resolve os problemas de comunicação mapeados pela empresa.

Por trás de uma interface amigável, colocamos inteligência no sistema para identificar influenciadores, detratores e qual o índice de absorção de mensagens em cada setor da empresa, tudo com base no comportamento dos usuários dentro do aplicativo.

Os gestores têm um diagnóstico em tempo real e podem conter potenciais crises internas antes mesmo que elas surjam.

Blog RP: Qual o perfil de um profissional que a Critical Mass busca para atuar em seus projetos?

André: Buscamos estrategistas, criativos e programadores que respirem inovação e experiência de usuário.

O diploma de RP é apenas o começo da sua carreira

Blog RP: O que o profissional de RP precisa aprender ou desenvolver de habilidades para trabalhar neste cenário contemporâneo de comunicação desenvolvida com base em dados?

André: Métricas. Estudar como usá-las para planejar campanhas e mensurar seus resultados é a bola da vez. Na propaganda os anunciantes já vêm migrando suas verbas da TV para o digital, pois conseguem segmentar melhor seus públicos e medir precisamente os resultados.

O mesmo está acontecendo no mercado de RP. A escolha de influenciadores, de redes sociais e até da linguagem de uma campanha, quando baseados em métricas, podem gerar resultados muito melhores.

Por exemplo, não basta saber que fulano é o influenciador com maior número de seguidores, mas qual o percentual de engajamento que ele consegue em seus posts, entre quais perfis de seguidores?

Dados podem mostrar que um influenciador menos conhecido pode engajar um público maior ou mais específico a um custo bem menor. E que vídeos de 15 segundos têm o dobro de compartilhamentos de outro de 30 segundos.

Ser um bom comunicador é premissa básica para um RP. Entender de dados, no entanto, pode te garantir uma boa vaga de trabalho.

 

Você também vai gostar de ler:

Lucas Taidson
Lucas Taidson
Relações Públicas e Analista de Conteúdo da Otimifica. Amo o que faço e dedicar-me a isso se torna mais fácil, proveitoso e até divertido.
Acompanhe:
André Franco, da Critical Mass, fala sobre o uso de dados e tecnologia nas estratégias de comunicação corporativa

Comentários

12727