É RP, estúpido

Removam esse conteúdo, já!
7 de junho de 2013
Será esse o caminho para conquistar um país justo?
18 de junho de 2013

É RP, estúpido

Hoje a Folha de São Paulo publicou (assim como faz todas as terças-feiras) artigo do Nizan Guanaes, presidente do grupo ABC, no caderno Mercado (pág B8 – veja aqui).

Com o título “É a propaganda, estúpido”, Nizan aborda hoje as transformações “disruptivas” que a propaganda vem passando e os desafios que encontra para continuar a inovar e crescer, mas principalmente, se relacionar e cumprir com o seu papel: vender.

O brincadeira do título do artigo de Nizan com o título deste post se dá ao ligarmos este texto com outro, de autoria do mesmo publicitário, publicado em setembro de 2011 e que foi alvo de um texto meu à época. Na ocasião o artigo de Nizan chamado “Se você conseguir lá…” falava sobre a abertura de uma agência por ele em Nova Iorque (EUA); mas não uma agência de publicidade, uma agência de Relações Públicas.

No artigo de hoje Guanaes salienta que o padrão do consumidor está mudando rápido, cada vez mais este público (ou nós, pois somos consumidores) estamos mais e mais informados, temos mais acesso à comparativos de preços, qualidades e principalmente defeitos e opiniões de outros consumidores, o que influencia na decisão de compra.

Para ele, as marcas precisarão ter voz, cabeça e coração. Falar, pensar e sentir relações com consumidores, algo que já é demandado mas que ainda não temos todas as ferramentas ou não sabemos exatamente como entregar isso. Será mesmo?

Ele mesmo deu a receita de como fazer marcas e produtos chegarem lá. Propaganda é um caminho, mais rápido e mais caro do que as Relações Públicas, mas efetivos. Na minha opinião, entretanto, sem sustentação em longo prazo. São as RPs, na era do BigData, do relacionamento direto com o cliente e na geração de “experiências de marca” o caminho mais relevante a ser seguido.

Nós, profissionais, precisamos aproveitar essa “porta aberta”. As marcas estão ai, precisando se comunicar e vender; os nichos de comunicação, se reinventando, e nós, vamos olhar a banda passar ou vamos aproveitar o momento?

Pedro Prochno
Pedro Prochno
Sou fã das Relações Públicas*! Graduado em RP e com um MBA pela FGV, sou empreendedor na área e gerente de comunicação da Uber. Sou Pai do “relações”, Mergulhador, DJ e mto curioso! Adoro viajar, conhecer novas culturas, pessoas e formas de se ver o mundo!
Acompanhe:
É RP, estúpido

Comentários

6688