E o vestido de cores polêmicas inspirou marcas e agências

Birdman, um Oscar e várias lições de RP
23 de fevereiro de 2015
O que Sílvio Santos e Netflix têm em comum?
5 de março de 2015

E o vestido de cores polêmicas inspirou marcas e agências

O polêmico vestido Azul e Preto

A fotografia de um vestido instalou um alvoroço e polêmica que cruzaram oceanos, continentes e fusos horários entre a noite e madrugada desta quinta (26) para sexta-feira (27) por meio das redes sociais, especialmente Facebook e WhatsApp.

A fotografia foi compartilhada acompanhada de uma pergunta que queria, basicamente, saber quais cores o usuário incauto via no dito vestido: “azul e preto ou branco e dourado?” E a simples resposta de um desencadeava a discordância de outros, instalando-se aí a polêmica, as dúvidas, as incredulidades e até superstições e medo, além de explicações das mais simplistas às mais “científicas”.

Provavelmente você foi uma das pessoas que recebeu a foto e participou da polêmica, além de ter compartilhado com amigos e familiares. Mas, além do alvoroço e do interesse que esse evento criou, foi muito bom ver a rapidez com que as marcas e os profissionais de comunicação reagiram, aproveitando a ocasião e fazendo do buzz uma chamada inteligente ou curiosa para seus produtos.

Já de manhã, ao checar meus e-mails no smartphone, já dei de cara com um e-mail marketing das Lojas Renner na esteira dos Azul-e-preto/Branco-e-dourado, dizendo que “não importa a cor do vestido, nós temos”.

O e-mail mkt da Renner na onda do vestido polêmico

 

Em seguida, a marca de lingerie Dilady, pelas mentes e mãos da agência Elo Digital, lançou na fanpage do Facebook o “o que você vê”, mostrando dois sutiãs, um branco e outro dourado.

Dilady e os sutiãs branco e dourado

 

E, logo, a Samsung aproveitou a onda para mostrar seu Galaxy nas cores Azul & Preto e Branco & Dourado

Sansung e os Galaxys Azul e Preto e Branco e Dourado

 

E daí para diante, a coisa continua bombando na web, inclusive com matérias em diversos blogs e sites fazendo referência ao fenômeno que congestionou as redes sociais. Certamente vamos passar o resto do dia e do final de semana, quem sabe até da próxima semana, vendo os desdobramentos e inventividade em cima do evento original.

De qualquer forma, e dentro do tema quenos interessa, temos aqui dois exemplos claros do que um assunto aparentemente singelo pode gerar:

  1. a viralização orgânica, absolutamente sem intenção, simplesmente pelo inusitado e curioso do tema; e
  2. a comunicação de oportunidade que algumas marcas utilizaram para, se não alavancar vendas, pelo menos chamar a atenção do público.

Se as marcas vão vender mais, não sabemos. Mas que vão encantar pela criatividade e senso de oportunidade, vão! Eu, pelo menos, estou me divertindo pra caramba acompanhando a corrida das campanhas Azul/Preto/Branco/Dourado! E você?

Ana Manssour
Ana Manssour
é Relações Públicas pela PUC-RS, com aperfeiçoamento em Comunicação Empresarial pela ESPM-RS e mestre em Administração com ênfase em Organizações pela UFRGS. Conta com mais de 35 anos de carreira profissional em vários segmentos de mercado. Foi professora em cursos de graduação e pós-graduação no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. Foi idealizdora, fundadora e sócia por sete anos do portal feminino Plena Mulher. Empresária e diretora da Pró.RP Relacionamentos Sustentáveis, atualmente redireciona toda a experiência profissional, acadêmica, familiar e pessoal para apoiar o empoderamento feminino por meio do projeto Verbo Mulher, iniciado em 2015 e criado para apoiar as mulheres a alcançarem o máximo do seu potencial realizador e promover a equidade de gêneros nas empresas e na sociedade.
Acompanhe:
E o vestido de cores polêmicas inspirou marcas e agências

Comentários

8952